OBESIDADE: O QUE É

A obesidade é uma doença crônica, progressiva, fatal e geneticamente relacionada. Ela caracteriza-se pelo acúmulo excessivo de gordura e pelo favorecimento de outras doenças, conhecidas como “co-morbidades”, listadas abaixo. Nos Estados Unidos, uma pessoa a cada quatro pesa 20% a mais que seu peso ideal. Atualmente, segundo pesquisa recente da Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica, 51% dos brasileiros estão acima do seu peso ideal, 15-20% são obesos e 5% são considerados obesos mórbidos.

Para avaliar o grau de obesidade de uma pessoa, desenvolveu-se o Índice de Massa Corporal - IMC. O seu cálculo é realizado dividindo-se o peso (em Kg) pelo quadrado da altura (em metros).


Além das co-morbidades que certamente diminuem a expectativa de vida, o paciente obeso sofre com situações cotidianas, tais como:
  • Amarrar os sapatos
  • Comprar roupas para seu tamanho
  • Inadequação de mobiliário público (assentos de avião/teatro/cinema/ônibus)
  • Dificuldades para realizar a higiene pessoal
  • Problemas socioeconômicos, que são representados pela discriminação social
  • Dificuldades em conseguir emprego
  • Problemas de relacionamento afetivo-sexual
Co-morbidades associadas à obesidade:
  • Hipertensão arterial;
  • diabetes;
  • apnéia do sono (parada respiratória durante o sono);
  • doenças articulares (especialmente nos joelhos e tornozelos);
  • doenças coronarianas que podem levar ao infarto;
  • insuficiência cardíaca;
  • hiperlipidemia (elevação do colesterol e dos triglicerideos);
  • esteatose hepática (depósito de gordura no fígado, causando mau funcionamento);
  • cálculos de vesícula;
  • doenças vasculares nas pernas (varizes e má circulação);
  • câncer no intestino, próstata, mama, útero e ovários;
  • alterações na menstruação;
  • incontinência urinária (perda de urina);
  • infertilidade e impotência;
  • depressão e outros transtornos.

Pelo Índice de Massa Corporal (IMC) é possível graduar a obesidade e definir a melhor forma para o seu tratamento.



Pessoas com IMC até 35 podem ser tratadas apenas por métodos tradicionais (dieta, exercícios, medicamentos e mudança de hábitos).

No entanto, para os casos de obesidade grave com co-morbidades, mórbida e superobesidade, tais métodos isoladamente já se mostraram pouco efetivos. Nesses casos, a cirurgia é um tratamento eficaz na redução e manutenção do peso. A Organização Mundial da Saúde - OMS - e o Ministério da Saúde do Brasil reconhecem a obesidade mórbida como uma doença passível de tratamento cirúrgico.

Reuniões | Depoimentos | Telefone: 31 3292.5929